Problemas gerados pelo vício da sexualidade

Reportagens / Transtornos da sexualidade

Por Alessandra Borges
Produtora Destrave

O comportamento sexual compulsivo é o ato e o desejo excessivo pela atividade sexual. Desta forma, o indivíduo se torna ‘escravo do sexo’, levando-o a rompimentos de relacionamentos e atrapalhando seu convívio social.

Este tipo de compulsão é caracterizado por um grande número de fantasias sexuais que a pessoa vai imaginando ao longo do dia, e isto, ao ocupar sua mente, acaba deixando-a inquieta e a impede de realizar seus compromissos de maneira tranquila e normal. Normalmente, esses pensamentos compulsivos não ficam apenas no imaginário do indivíduo, pois o leva a cometer atos sexuais exagerados.

 Compulsão Sexual: como lidar com o sentimento de culpa?

Muitas pessoas são vítimas desta “doença”, porque a relação sexual deixa de ser um ato de amor entre o homem e a mulher e passa a se tornar uma obsessão em busca de fantasias e prazeres.

A psicoterapeuta Gabriela Monéa explica que são muitos os fatores que podem desencadear este quadro patológico de comportamento sexual compulsivo como ansiedade, timidez, TOC, depressão e muitos outros elementos.

“Mas o que determina se uma pessoa está em uma compulsão sexual é quando ela passa a ter prejuízos ou limitações na sua vida cotidiana, ou seja, nas relações sociais, pessoais, na alimentação, no sono… Ela passar a sentir prazer apenas no ato sexual”, esclareceu Monéa.

Uma das observações que a psicoterapeuta fez, durante a entrevista, foi o fato de a compulsão sexual estar comparada à dependência química, pois a pessoa começa a perceber que, para ter o prazer inicial tem de satisfazer-se cada vez mais. No entanto, em vez do sentimento de satisfação, é a ansiedade que toma conta dela.

Confira o especial sobre os Transtornos da Sexualidade

“O que a pessoa sente é angústia, culpa e depressão, porque, após tentar satisfazer os desejos dela, sente mais necessidade ainda. Assim, ela vai sair em busca de novas  formas de satisfação, de prazer sexual, e isso gera a dependência dela”, explicou a psicoterapeuta.

Há tratamentos para este tipo de doença, mas, como pontua Gabriela, o primeiro passo para o indivíduo se livrar deste incômodo comportamental é perceber a necessidade de procurar o acompanhamento de um terapeuta.

“A primeira atitude é a pessoa admitir que tem um problema e procurar ajuda de um psicólogo, pois ele vai ajudá-la a controlar sua ansiedade, em vez de extravasá-la no sexo. O psicólogo, em conjunto com o paciente, vai descobrir as raízes deste problema. Uma outra solução é que, muitas vezes, o tratamento é alinhado com medicamentos para inibição da libido, do impulso sexual ou até mesmo antidepressivos”, recomenda Monéa.

Para saber mais sobre este assunto, assista abaixo a entrevista completa com a psicoterapeuta Gabriela Monéa.

Veja mais:

O que é a sexualidade humana?

Libertando-se do vício da pornografia

.

deixar uma resposta para Junior

16 Comments to Problemas gerados pelo vício da sexualidade

  1. Junior's Gravatar Junior
    22 de setembro de 2012 10:05 Permalink

    Olá pessoal do Destrave! Excelente (como sempre) essa temporada parabens! Chamo atenção para um erro ortografico sutil sutil no seguinte trecho: “A psicoterapeuta Gabriela Monéa explica (…) toque, depressão e muitos outros elementos.”rna médica refere-se a TOC (Transtorno Obcessivo Compulsivo). rnGraça e paz

  2. J.'s Gravatar J.
    26 de setembro de 2012 15:26 Permalink

    sim. Devido a esse problema coloquei em minha cabeça uma fantasia pela qual acabei cometendo e me arrependendo depois por ser pecado.porque pratiquei com outra pessoa que não é me esposo,foi uma única vez pois não significou nada pra mim.Foi só uma noite de prazer . Agora convivo com sentimento de culpa e uma angustia sem fim.Esse vício faz você abandonar a igreja pois se sente muito culpado e com vergonha de confessar ao padre e assim vai virando uma bola de neve sem fim.Por favor me ajudem a superar isso!

    • Saulo Carmo's Gravatar Saulo Carmo
      27 de dezembro de 2013 13:22 Permalink

      Caríssima em Cristo, se isto te causa mal, não tenha vergonha. Te digo mais: aproveite sua vergonha como um estímulo a confessar-se e não passar mais vergonha. O padre, por norma do direito canônico, é proibido expressamente de contar qualquer de seus pecados a outra pessoa. E é tanta gente que ele confessa… Imagine se ele procurasse se lembrar dos pecados de cada um quando encontrasse depois com a pessoa? O padre sabe lidar com o silêncio da confissão tão bem, que ele mesmo acaba esquecendo os seus pecados. Além disso, já que a confissão é um sacramento, não é o padre que te confessa, mas o próprio Cristo na pessoa do padre. Então você não estará contando ao padre, mas ao próprio Cristo. Ele já sabe, mas quer que você se abra com Ele, reconheça sua culpa na presença d’Ele e lhe peça perdão.rnAcabe com seu sofrimento de uma vez por todas e confesse-se o mais rápido possível, e você verá como é boa a sensação de estar perdoada, que com certeza é muito maior que o prazer do ato sexual. E ainda melhor: não é como o prazer sexual, que dura um minutinho, é eterna!

  3. A. D. R.'s Gravatar A. D. R.
    10 de outubro de 2012 16:42 Permalink

    Caramba, realmente é o que esta acontecendo comigo, por ser viciado em sexo, não consegui algumas vezes nem ter ereção com minha noiva, estav muito ansioso, sei que antes do casamento a igreja orienta a não ter, mas , meu vício é tão grande que acabei procurando outras pessoas e me afastei dos trabalhos da igreja, detalhe, fui ministro extraordinário da sagrada comunhão eucarística muitos anos e hoje de vergonha não consigo nem comungar. Rezem por mim, pois tbém vou procurar uma psicóloga.

  4. juliana's Gravatar juliana
    10 de outubro de 2012 22:42 Permalink

    Estou muito angustiada pois sou recem casada e descobri que meu marido é viciado em pornografia, entra em sites, contrata prostitutas, gosta de homens tb, me sinto um lixo, choro o dia todo e nunca contei nada para ninguem, nao sei o que fazer, ele nega,se falasse a verdade eu me proporia a ajudar, procurar tratamento, tem algo pior nisso tao serio que nao posso contar, fico dividida, ele é meu marido devo ajuda-lo?como? e os meus valores? se fico com ele me sinto mal pq parece que estou compactuando, se penso em deixa-lo eu penso que p/ mim casamento é sacramento, para vida toda!!! Nao sei se Deus me mostrou isso logo para ajuda-lo ou para sair antes que coisas piores aconteçam!!!

    • José's Gravatar José
      12 de outubro de 2012 23:40 Permalink

      Juliana,rnEm primeiro lugar, é preciso que você entenda que seu marido está sofrendo também e muito!O que ele faz, não é por maldade ou porque não te ama. Para o compulsivo ou dependente sexual, o amor e o sexo são independentes.Pode fazer sexo sem amor, busca apenas o prazer. Sua tarefa é difícil, mas abandoná-lo ou fazer escândalo, só vai piorar. Já fui um compulsivo sexual e posso avaliar bem a situação de seu marido.Procure ajuda primeiro para você, buscando frequentar um Gruo de Oração e um bom psicólogo. Depois você poderá ajudaar seu marido a sair da dependência, mas com fé em Jesus Cristo e no Espírito Santo e com a ajuda de um profissional de psicologia. Não conte para ninguem, não exponha seu marido ao ridículo, isto seria terrível para vocês dois. Que o spírito Snto te ilumine.

      • Jorge's Gravatar Jorge
        23 de janeiro de 2014 22:30 Permalink

        Caro José,rnSinceramente, gostaria de algum auxílio, talvez via email… Me considero um compulsivo por sexualidade, e isso tem atrapalhado minha vida, principalmente amorosa…rnComo voce tem experiência, o que puder dizer sobre….rnAbraço,

      • Junior's Gravatar Junior
        1 de fevereiro de 2016 23:01 Permalink

        Caro José, tb me identifico como dependente de sexo.Tô ainda em um grau médio, pois consigo trabalhar sem prejuízo, mas não consigo conter a compulsão que ja me atrapalhou me separando da minha esposa que descobriu. No início era só ver pornografia e masturbação exessiva, depois sexo virtual pela internet, sem identificação e por último sexo real com prostituta. Acho que conversando com alguém como vc pode me ajudar tb, visto que na minha cidade não tem grupo DASA (depend. de sexo). Já estou procurando ajuda religiosa e psicológica. Se puder me ajudar por email vou agradecê-lo. Sou de Vitoria ES. Grande abraço

    • Carlos Eduardo's Gravatar Carlos Eduardo
      15 de outubro de 2012 10:10 Permalink

      É verdade, Juliana. Não dá pra saber se Deus te mostrou isso, se é pra vc “sair fora” logo, ou se é pra levantá-lo.rnPois na Bíblia está escrito que se acontecer certas coisas no casamento; adultério, por exemplo. Vc pode entrar com recurso para a anulação do casamento.rnrnMas na Bíblia tbm está escrito que nós devemos levantar os caídos, ajudar os que não tem forças, interceder pelos nossos.rnrnEle pode ser a sua cruz, mas tbm pode não ser.rnVá a um Padre e converse com ele sobre esse assunto. Peça a graça e a instrução do Espírito Santo.rnrnSe vc seguir esses passos, com ctz a situação vai se resolver.rnrnDeus te abençoe muito!

  5. anastacio joaquim de oliveira's Gravatar anastacio joaquim de oliveira
    24 de outubro de 2012 20:59 Permalink

    eu passei por isto ,mas com a graça de deus e muita luta estou curado………..foi uma luta solitaria, mas venci……é realmente muito dificil.. hoje me sinto abençoado..com novos valores na vida…só quem passa..sabe avaliar a dificuldade,o esforço ..sobre humano para se curar………..

  6. dr. ronan savio's Gravatar dr. ronan savio
    25 de outubro de 2012 00:48 Permalink

    façam um DESTRAVE com o maestro Urbano Medeiros. sa´bio e homem de Deus!!!!!!!

  7. Neilton's Gravatar Neilton
    22 de agosto de 2013 17:00 Permalink

    Desculpem, mas péssima informação que pode atrapalhar, em vez de ajudar!! Padeço desse transtorno e sei que não adianta radicalizar dessa forma. Não podemos generalizar e dizer que “quando você não conseguir fazer mais nada, só pensar em sexo 24 horas por dia, etc, deve procurar ajuda”. Isto não é verdade! Em muitos casos, como no meu, essa compulsão apresenta-se em fases, períodos da vida. Aí é que mora o perigo pois achamos que dominamos, mas depois de um tempo ela volta. Mesmo dentro dessa fase, após a masturbação ela volta, depois de algumas horas ou no dia seguinte. Em muitos casos a compulsão não prejudica tanto, ou achamos que não, porém ela no fundo nos deixa infelizes. O negócio é bem complexo e deve ser tratado com seriedade.

  8. Nilson's Gravatar Nilson
    7 de dezembro de 2015 06:50 Permalink

    Bom dia!
    Sempre tive dificuldade no relacionamento do contato inicial com as pessoas, isso mim fez ao prazer solitario em filmes pornograficos, onde ao longo do tempo levei para minha vida real e sendo o motivo do desfeche do meu primeiro casamento, relacionamento de 9 anos, no periódo solitario de 5 anos tive un novo relacionamento, escolhir uma garota de programa, durante 13 anos mim realizei com todas minhas fantasias, onde essas fantasias dominaram meu dia a dia, e hoje separado a 3 anos, não consigo mim relacionar com ninguem, gostaria muito de amar e ter uma vida convencional.

  9. Rogério's Gravatar Rogério
    6 de janeiro de 2016 10:01 Permalink

    Olá bom dia !eu tenho um pobrema que quando tenho relação com minha esposa tenho uma preocupação de não sastifazela e com isso procuro ver mais e mais coisas de pornografia na internet oque pode ser?

    • Uma qualquer's Gravatar Uma qualquer
      5 de julho de 2016 17:54 Permalink

      Moço, se concentre nela. Mulher nenhuma gosta de pornô, são muito “para homens”. Mulher gosta de carinho, palavras que aconchegam. Faça com amor, e você vera ela satisfeita