Mulher, sinal de amor e vida

Mulher e sua identidade / Reportagens

“O obrigado ao Senhor, pelo seu desígnio sobre a vocação e a missão da mulher no mundo, torna-se também um concreto e direto obrigado às mulheres, a cada mulher, por aquilo que ela representa na vida da humanidade”(João Paulo II).

A mulher vem se destacando, nos últimos séculos, como uma das maiores responsáveis pelas transformações ocorridas na sociedade. Hoje, encontramos mulheres na política, na cultura, na educação, no esporte, na economia e, é claro, na vida da Igreja. Mas afinal, quem é essa figura que conquistou tanto espaço em nosso tempo? O que é ser, de fato, uma mulher?

Esta pergunta não é tão simples de responder, dado o maravilhoso mistério da dignidade, vocação e missão da mulher. “Ela é criada à imagem e semelhança de Deus para ser, no mundo, um sinal de amor e santidade”, disse o beato João Paulo II.

O feminismo trouxe transformações radicais no comportamento das mulheres nos últimos anos. Bandeiras pró-aborto, de liberdade sexual e reprodutiva estão no rol dos 'direitos' reivindicados pelo movimento

Um dos principais responsáveis pelas transformações do comportamento feminino na sociedade é o movimento feminista. A primeira onda de feminismo surgiu na França, no Reino Unido e nos Estados Unidos, entre os séculos 19 e 20,  com o movimento ‘sufragista’, que defendia o direito de voto às mulheres. Já nos anos 60, surgiu o feminismo radical com o movimento da “libertação das mulheres” e da “queima dos sutiãs”. Duas pensadoras influenciaram o movimento de cunho sexista: Betty Friedan, com o livro ‘A mística feminina’, e Simone Beauvoir, com a obra ‘O segundo sexo’. Ambas as obras defendem que os cuidados com maridos e filhos, fruto de uma sociedade patriarcal, são uma ameaça para a identidade da mulher.

Veja o vídeo com o especial

Feminismo e a ‘guerra dos sexos’

Este feminismo assume, ao longo dos anos, um caráter ideológico, filosófico e político; e as mulheres passam a colocar, no rol dos seus direitos, o sexo livre, a independência do corpo, o direito ao aborto e à contracepção.

"Eu penso que o movimento feminista foi contaminado ao longo dos anos, o que chamo de um feminismo machista", diz Dra. Lenise.

Já em sua terceira fase, o feminismo reassume a luta pelos direitos civis da mulher com melhores condições de trabalho, a luta contra a discriminação e a violência doméstica e sexual , um maior espaço na política e na cultura; no entanto, questões ideológicas radicais contra a vida e a família ainda permeiam a bandeira do movimento.

“Eu penso que o movimento feminista tem alguns aspectos muito importantes como o desenvolvimento da mulher e o fato de a colocarmos com os mesmos direitos e dignidade. Mas há também uma distorção neste processo, algo que eu chamo de “feminismo machista”, ou seja, mulheres que, de certa forma, querem ser iguais aos homens. No entanto, se você quer ser igual ao homem, é porque acredita que ele é melhor do que você”, diz Dra Lenise Garcia, professora da Universidade de Brasília.

“O feminismo foi causando na mulher uma autossuficiência, como se ela não precisasse do homem nem para ter filhos. O fruto desta mentalidade foi o fechamento para o amor”, disse Emmir Nogueira, formadora da Comunidade Shalom.

“Essa mentalidade trouxe sérias consequências para a identidade da mulher, já que sua vocação é, justamente, doar-se para gerar vida. João Paulo II disse, na encíclica Mulieris in Dignitatis, que a vocação da mulher é ser mãe, seja de forma biológica ou espiritual, porque a mulher foi feita para doar-se e gerar vida”, conclui Emmir.

“Conceberás e terás um filho…” e elas disseram “SIM!”

A vocação da mulher é ser mãe, um amor que transborda em vida

“Muitas foram as conquistas da mulher nos últimos anos, mas penso que a maior vitória é a sua identidade e também a sua maternidade”, relata a teóloga focolarina Rosa Ayer.

Muitas se perguntam: “Será que, na busca pelo espaço no mercado de trabalho, a mulher se esqueceu do lar? Por outro lado, a atuação dela deve ser somente no cuidado com a família? Será que sua essência e vocação estão apenas encerradas na maternidade e nos cuidados domésticos?

O Papa Bento XVI, ainda como cardeal Ratzinger à frente da Congregação para a Doutrina da Fé, respondeu estas perguntas em uma carta pastoral dirigida aos bispos de todo o mundo, na qual ele fala sobre “a colaboração do homem e da mulher na Igreja e no mundo”. Nesta carta, o Santo Padre diz que “embora a maternidade seja um elemento chave da identidade feminina, isso não nos autoriza, absolutamente, a considerar a mulher apenas sob o perfil da procriação biológica”. Ele ainda exorta: “Pode haver, nesse sentido, graves exageros que exaltam uma fecundidade biológica em termos vitalistas e que, frequentemente, são acompanhados de um perigoso desprezo da mulher”.

Com relação ao campo de trabalho e ao espaço da mulher na família, o Pontífice ainda acrescenta: “As mulheres que, por usa vez, desejarem realizar também outros trabalhos poderão fazê-lo em horários adequados, sem serem confrontadas com a alternativa de mortificar a sua vida familiar ou, então, arcar com uma situação habitual de estresse que não favorece nem o equilíbrio pessoal nem a harmonia familiar”.

Segundo o então cardeal Ratzinger, a identidade da mulher está na sua “capacidade para o outro”, em doar-se para gerar vida na família e na sociedade, pois esta é, segundo ele, “uma realidade que estrutura, em profundidade, a personalidade feminina”.

Voltemos, então, à pergunta inicial: “O que é ser mulher?”. Ser mulher é ser sinal de doação, amor e vida para o mundo.

Veja ainda:

A mulher deve ser igual ao homem?

.

deixar uma resposta para Régia

19 Comments to Mulher, sinal de amor e vida

  1. aline's Gravatar aline
    2 de março de 2012 13:37 Permalink

    a mulher ela é um presente de DEUS em nssas vidas.muito felizrnobrigada..

  2. Maria Edilene dos Santos Soares's Gravatar Maria Edilene dos Santos Soares
    2 de março de 2012 14:47 Permalink

    sim a mulher um ser que DEUS criou no mundo para transformar as nossa vidas, ser mÃE; palavra linda que JESUS acatou a sua MAe.

  3. Lucivania's Gravatar Lucivania
    2 de março de 2012 15:57 Permalink

    Maravilhoso!Pd ter certeza q ñ so eu,rnmas tambem todas as mulheres,estão mt felizes,por teremrnsido lembrada desa forma,”Sendo sinal de doação,amor e vida p o mundo”.rnValeu mesmo.

  4. Luciano Vidal's Gravatar Luciano Vidal
    2 de março de 2012 16:17 Permalink

    A mulher, há mulher.rnEm teu ser, Deus depositou a dádiva da concepção.rnNão és melhor e nem pior do que o homem, por causa deste peso.rnÉs a flor dos olhos de Deus,rnSem o homem, e o homem sem ti, és criatura sem vínculo fecundo.rnrnFeminismo, não.rnTroque esta palavra por feminilidade.rnNós homens estamos necessitados de ver feminilidade,rnQue exala o aroma do amor acolhedor.rnrnDeixa a Mulher que exalou mais feminilidade do que todas as mulheresrnSer o teu modelo perfeito a ser seguidornDeixa a Virgem Maria ser o teu modelo mulherrnHá, e verás os homens exclamarem:rnVejam que beleza acolhedora, que exala feminilidade em sua expressão mais genuína.rnrnMulheres, olhem para a Mulher que venceu, vence e vencerá o mal: Nossa Senhora, a Virgem de Nazaré.

  5. Olivia Regina Silva Dutra Maciel's Gravatar Olivia Regina Silva Dutra Maciel
    3 de março de 2012 18:10 Permalink

    A mulher foi criada por Deus em sua beleza como mãe, como mulher que luta por melhores condições de vida, por um lugar na sociedade, na família e principalmente por dignidade.O importante é se dá o respeito para ser respeitada. E principalmente esse respeito tem que partir de cada uma em particular. Eu digo isso porque a mulher está sendo muito balalizada na sociedade, isso é uma vergonha para nós mulheres, e temos que resgatar esses valores e valorizar mais a nossa classe.

  6. Luiz Gonzaga Nobre Machado's Gravatar Luiz Gonzaga Nobre Machado
    4 de março de 2012 23:50 Permalink

    Neste mês em que celebramos o dia internacional da mulher(08 de março). Parabéns para todas as mulheres!

  7. Régia's Gravatar Régia
    14 de março de 2012 17:36 Permalink

    Achei muito interessante a fala da Santidade o Papa: “As mulheres que, por usa vez, desejarem realizar também outros trabalhos poderão fazê-lo em horários adequados, sem serem confrontadas com a alternativa de mortificar a sua vida familiar ou, então, arcar com uma situação habitual de estresse que não favorece nem o equilíbrio pessoal nem a harmonia familiar”.rnPois o que tenho visto em discussões é a obrigatoriedade da mulher trabalhar para ajudar a sustenatr a casa, independente dela cuidar da casa, do marido e dos filhos. Espero que isso tenha esclarecido para muitos o posicionamento do Papa em relação ao trabalho da mulher. rnMas a mulher corre grandes riscos em não trabalhar, porque quando os maridos abandonam a esposa e os filhos, eles fazem de tudo para não ajudarem em nada. Então como fica a vida de uma mulher, por exemplo, que um sacerdote me relatou: o esposo abandonou a ela e aos 4 filhos e sumiu. Como essa mulher com 4 criancas pequenas vai encontrar trabalho? rnE quantas mulheres estão sendo pais e mães? rnMais que o feminismo, quem ainda continua incentivando certas posturas feministas, são os próprios homens e a maneira como a sociedade lida com isso. No dia internacional da mulher o que mais ouvi dizer era do “orgulho” de conseguirem ser mil pessoas de uma vez só e ainda sem reclamar. Mas tenham certeza, a maioria vive assim, não porque querem, mas porque precisam, porque os filhos precisam. Elas se entitulam guerreiras, realmente, ser mulher é viver em uma batalha inglória em um mundo que, para nos considerarem mulheres temos que ter filhos e sermos capazes de cuidar, dar exemplo moral e ético, sustentar sozinha e ainda outros “milagres” que nos incumbem fazer. Sim, porque se o marido abandona e ela não é capaz disso tudo, ela não é um exemplo de mulher. Eu só queria saber onde está o papel, do homem, do esposo, do pai, se ele pode jogar tudo para o alto sem nenhum problema.rnrnSer mãe para ser plenamente mulher. Cássia Eler era assumidamente homossexual e foi mãe. rnE quanto as que não podem ter filhos, são menos mulheres? E quanto as que não tiveram filhos porque conscientemente não quiseram que os filhos sofressem com o comportamento de um pai pervertido e com distúrbios psiquiátricos incompatíveis com a paternidade, ( a terapêuta diz que foi a criação que ele teve, sem amor e etc, mas mesmo em tratamento por causa da perversão, escolhe filmes como Calígula para assistir). Essa mesma mulher que foi elogiada pelo seu confessor e a terapêuta do marido pela decisão tomada. Para essas mulheres, elas sabem o que é ser mulher e Deus está com elas, acolhendo a cada uma pelo sofrimento e até a discriminação. rnDeus abençoe as mulheres que não acham nenhum pouco orgulhoso a obrigação de ter que ser mais que os homens para serem consideradas mulheres. Deus abençoe as mulheres que ainda acreditam em vida, em comunhão edificada no amor de Deus, naquelas que esperam no Senhor o dia que a coerência em definirem o que é ser mulher não criem tantas falas contraditórias. E que possamos viver em paz, sendo mães ou não, com maridos, homens que nos respitem, nos amem como mulheres filhas amadas de Deus e não nos considerem escravas e depósitos onde descarregam suas frustrações. ( vide quantas mulheres agredidas e assassinadas por seus companheiros).rnA capacidade para o outro, doar-se. Gerar vida é igual a gerar amor, sem ele não há vida em abundância e nem em plenitude. Gerar vida e amor, não é uma obrigação só da mulher, ela sozinha pode alguma coisa, mas nunca tanto quanto o que Deus tem planejado para mulheres e homens juntos, e aí sim, capazes de gerar vida, de gerar amor em comunhão com Deus e em família.rnrnAbraços a todos da Canção Nova.

  8. almeida's Gravatar almeida
    15 de março de 2012 15:56 Permalink

    Este site e muitos outros que “pregam a palavra de Deus” esta pegando muito nesse assunto sobre o comportamento das mulheres! E os homens? E o comportamento deles tanbém não é errado? Violantam, espancam, abandonam mulher e filhos!E enquanto isso no Marrocos:menina de 16 anos cometeu suicídio. Amina Al Filali usou veneno de rato para tirar a própria vida após ficar casada por cinco meses com o homem que a violentou e que, desde a união permanente, a agredia fisicamente.

  9. almeida's Gravatar almeida
    15 de março de 2012 15:56 Permalink

    Não vale excluir meu comentário!!

  10. Luciano Vidal's Gravatar Luciano Vidal
    17 de março de 2012 23:01 Permalink

    Paz e bem!rnTodos os presentes comentários tem em si um ponto fundamental: a mulher. O nosso caríssimo irmão Almeida questionou sobre o tema: homens, por que não é muito falado. Realmente, a pergunta é intrigante e ao mesmo tempo nos remete ao tema do machismo.rnNo entanto, diante do tempo presente em que estamos vivendo, por meio das diversas confusões ideológicas, ou melhor, diante de tantas ideologias existentes na Humanidade atualmente, só tenho a dizer que: estamos diante da pior guerra espiritual até os nossos dias. Como assim? Falar mais sobre a mulher com maior ênfase nos remete à profecia de São Nilo, na qual está escrito: “As pessoas mudarão de aparência, e será impossível distinguir os homens das mulheres, por causa do atrevimento na maneira de se vestir e na moda de seus cabelos.” (http://www.cot.org.br/igreja/profecia-de-sao-nilo.php), sim, a maneira de vestir hoje, tanto do homem como da mulher, está completamente misturada, principalmente por causa da tal moda unissex.rnSim, é questionável realmente a maneira de vestir atualmente, enfim, a sensualidade própria da mulher ou a sua feminilidade acabou sumindo das nossas ruas, praças, avenidas… Em um certo dia, de volta do meu trabalho para casa, vir na minha frente à pouca distância, duas jovens andando, uma vestida de saia e a outra com calça jeans, qual espanto meu a que estava com saia apresenta a sua feminilidade própria e enquanto a que estava com calça jeans, acabava perdendo a essência da sua feminilidade. Deixo a seguinte pergunta: será que não está na hora das mulheres voltarem a reconquistar a sua feminilidade? rnOutro aspecto sobre as mulheres é quanto ao fato delas serem intercessoras, isto decorre do fato da Nossa Mãe do Céu ter sido a intercessora suplicante contínua em sua vida aqui na Terra e agora no Céu. Logo, o inimigo de Deus, com ódio da Mulher vestida de Sol (Jesus Cristo, seu Filho) narrado em Apocalipse 12 veio com ódio para cima das mulheres (Gen 3, 15). Como assim? A mulher mencionada no Gênesis nos remete a Nossa Senhora, no entanto, é importante observar que todas as mulheres carregam dentro de si o útero no qual é possível ser gerada uma nova vida, logo, ela sempre deseja o melhor para o seu filho desde o útero materno, é um modo de interceder. Logo, a mulher é intercessora, e vemos nitidamente na vida de Nossa Senhora, tanto como solteira, namorada, noiva e esposa de José, Mãe de Jesus desde o momento da concepção até quando foi assunta aos céus ( os Mistérios do Santo Rosário nos remete a esta verdade, lá temos os mistérios de Deus sobre Nossa Senhora – Mariologia – e o seu Divino Filho – Cristologia – pois, desde o primeiro mistério até o vigésimo mistério, está a figura de Maria e de Jesus, hora visível e hora invisível, ou melhor, intercedendo).rnSendo assim, o nosso inimigo para destruir com os desígnios de Deus ao estabelecer ou ter colocado a mulher como intercessora, veio destruir a mulher nestes nossos últimos tempos que antecede a Vinda do Senhor, pois, assim, a força do inimigo aumenta. Como assim? Quanto menor a quantidade de mulheres solteiras, namoradas, noivas, esposas e mães intercessoras, logo, também, os homens deixarão de ser os Josés formados por Maria. Pois, Nossa Senhora teve um papel importante na afetividade e sexualidade de São José, ao ser intercessora e esposa preservando a castidade na sua totalidade, mesmo vivendo a dois. Logo, se falta mulheres intercessoras, também, os Josés dos nossos tempos deixarão de ser formados.rnUm outro aspecto, se refere à questão emocional das mulheres na formação dos seus filhos, quantas mães hoje estão tão distantes emocionalmente dos seus filhos por causa da tal modernidade, acaba assim possibilitando (quando mãe de menina) a formação da personalidade de sua filha com tendências ao lesbianismo (ver item 2 do presente artigo: http://www.presbiteros.com.br/site/homossexualidade-e-esperanca/). Existem outros aspectos neste item 2 que levam à homossexualidade e ao lesbianismo.rnComo disse Almeida, seria interessante também mencionarmos sobre os homens, só que o presente momento necessitamos ter uma retomada por igual às origens para as mulheres (feminilidade) e os homens (masculinidade). Caso contrário, humanamente falando, não existe mais esperança para uma sociedade melhor. Voltemos a valorizar, galera jovem, os atos ordinários da vida, neles residem a verdade tão preciosa que Nosso Senhor Jesus Cristo mencionou ao acolher aquelas crianças (Marcos 10, 13-16).rnrnShalom!

    • Régia's Gravatar Régia
      19 de março de 2012 19:13 Permalink

      LucianornrnUm exemplo : minha sogra viveu dentro de casa, para a família, adora saias, nunca trabalhou fora, foi catequista ( não parece o modelo feminino perfeito?) e nenhum dos filhos ( 3 homens e uma mulher) se importam com Deus. Segundo ela mesma relata, ela tentou educar mas o marido não deixou. Segundo ela também relata: “ele me maltratava muito e eu chorava, então me falaram que era pior eu chorar, então eu parei de chorar” ela começou a se esquivar, fazer ouvidos moucos. Sei que foi a forma que ela encontrou de não enlouquecer com aquele marido, mas em compensação praticamente “abandonou” os filhos. Podem dizer que ela foi fraca, mas e esse “homem” marido, foi o que???? rnMeu marido? Era o único que parecia acompanhar a mãe, mas depois de casada vi que o modelo que realmente ele queria seguir era o do pai, a igreja é na verdade um grande e conveniente disfarce. Eu já perdi as contas de quantas vezes coloquei os joelhos no chão para interceder por ele e pela família dele. O resultado? A esperança em Deus, porque mudanças concretas até agora, não vi. Então, não tem como falar das mulheres sem questionar também : “O que é ser homem?” Homem a imagem de Cristo, de São José. O que vocês entendem por serem homens? À imagem de São José: o guardião, o protetor, o provedor, o casto, o que amou tanto Maria que foi capaz de manter-se assim, casto ao lado dela. São José, homem igual a vocês, mas e vocês homens dos dias de hoje? Olhem o mundo como está? Quando falam das famílias desestruturadas, o que ando ouvindo e lendo aqui na canção nova, é que o adultério é a maior causa de desestruturação dos lares e a maioria das traiçoes à família e a Deus é feita pelos homens. Então eu pergunto mais uma vez, para vocês homens: O que é ser homem? Mas respondam tendo como exemplo São José. É fato que hoje mulheres estão sendo obrigadas a serem “pai e mãe” para que os filhos não morram de fome, e vir aqui e ler homens falando em mulheres usarem saias para recuperarem a feminilidade é no mínimo incoerente. Aliás São José, além de tudo, também não era um intercessor? Luciano, Deus o abençoe viu, e lhe dê discernimento e sabedoria, porque mundo não precisa só de mulheres sábias e intercessoras, precisa também de homens sábios e intercessores. Homens e mulheres de fé, homens e mulheres de Deus, só assim teremos famílias para Deus. A educação de um filho não depende só da mãe, não sendo assim, Deus não teria escolhido um Pai adotivo para Jesus. Hoje eu vejo o estrago que um pai pode fazer em todos os filhos. São José rogai por nós e que a misericórdia e o amor de Deus transforme os nossos corações.

  11. Luciano Vidal's Gravatar Luciano Vidal
    19 de março de 2012 22:05 Permalink

    Paz e bem! Regia, o presente tema sobre as mulheres e no qual comentei e depois a sua pessoa fez o comentário sobre os homens colocando nitidamente um caso real e com os seus respectivos questionamentos são louváveis. Mesmo que eu tenha dado tanta ênfase às mulheres para retornarem à sua feminilidade, no final do comentário mencionei: “(…) seria interessante também mencionarmos sobre os homens, só que o presente momento necessitamos ter uma retomada por igual às origens para as mulheres (feminilidade) e os homens (masculinidade). Caso contrário, humanamente falando, não existe mais esperança para uma sociedade melhor. Voltemos a valorizar, galera jovem, os atos ordinários da vida, neles residem a verdade tão preciosa que Nosso Senhor Jesus Cristo mencionou ao acolher aquelas crianças (Marcos 10, 13-16).” rnRealmente, nós homens temos uma divida grande com vocês mulheres, não apenas hoje, mas durante toda a História da Humanidade, o machismo acabou desfigurando a masculinidade tão edificante que São José viveu: “À imagem de São José: o guardião, o protetor, o provedor, o casto, o que amou tanto Maria que foi capaz de manter-se assim, casto ao lado dela. ” Sim, necessitamos (homens) retomar estes valores urgentemente para que assim a convivência seja harmoniosa e não agressiva.rnEnfim, como mencionei anteriormente, a retomada necessita ser por igual, homem e mulher, caso contrário, tudo estará perdido.rnReconheço e vejo os estragos causados pelo machismo, dentre estes estragos: mulheres são impedidas de cortar cabelos, de estudar em tenra idade por motivos de ciúmes, homicídios cometidos pelos companheiros por motivos de ciúmes; prisão e violência doméstica etc.rnCreio que o novo modelo de educação necessita ser voltado para uma total harmonização por meio da verdade e da liberdade, sabendo-se que somos eternos responsáveis pelos nossos irmãos, assim expressa Deus quando questiona a Caim depois de ter decepado a vida do seu irmão: ” O Senhor disse a Caim: “Onde está teu irmão Abel?” – Caim respondeu: “Não sei! Sou porventura eu o guarda do meu irmão?” O Senhor disse-lhe: “Que fizeste! Eis que a voz do sangue do teu irmão clama por mim desde a terra.” (Gen. 4, 9-10) Enfim, somos eternos responsáveis pelos nossos irmãos e quando um homem e uma mulher se unem em matrimônio, a responsabilidade de fazer o outro feliz é dos dois e não apenas de uma pessoa. Sem uma educação voltada para este sentido pleno da responsabilidade um pelo outro, tanto a feminilidade e a masculinidade fica obscura pela sombra do egoísmo e do orgulho.rnNeste diálogo tenho a certeza do crescimento espiritual e humano, pois, estou aprendendo a ver além. rnShalom!

  12. Alex's Gravatar Alex
    26 de abril de 2012 23:37 Permalink

    Bom pessoal tambem quero falar ….. acho que o feminismo só existe um, o FEMINISMO MACHISTA as mulheres querem se elevar só para se sentir superior a nós homens … com isso elas perderam as mais belas características que é ser mamãe ,a feminilidade e a sensibilidade …enfim deve ser o fim mesmo o mundo vai acabar com nós homens (másculos) e as (ex-mulheres) os novos (machos) indelicados …

    • Julia's Gravatar Julia
      6 de agosto de 2012 15:47 Permalink

      Alex, você sabia que muitas mulheres só puderam sair de casa para trabalhar e estudar por causa dos movimentos feministas ou você é do tipo que prefere uma empregada doméstica submissa pra chamar de esposa?

  13. Julia's Gravatar Julia
    6 de agosto de 2012 15:43 Permalink

    Como assim a “obrigação” de uma mulher é ser mãe?? Sou casada e em minha casa ninguém é superior a ninguém, quem manda é o amor! Eu terei filhos se EU quiser e quando quiser!

  14. erika's Gravatar erika
    8 de março de 2013 15:39 Permalink

    parabéns pela maravilhosa matéria q DEUS abençoi a missão de vcs

  15. Ana maria melo noger's Gravatar Ana maria melo noger
    8 de março de 2013 17:28 Permalink

    Começo,enfatizando,em se tratando da mulher!rnParabéns a todas!rnVcs sã filhas dela,querendo ou não aceitando essa mãe tão fiel,amorosa,misericordiosa,atenta a tudo e a todas nossas necessidades,passando,retirando pedras,obstáculos,que nos impedem a santidade!rnA mulher revestida de sol,a que deu seu fiat,também filha da promessa,seus pais idosos,Santana sua mãe,estéril,foi agraciada com Maria ,já designada,nos planos divinos,seria mais tarde a mãe do redentor,messias salvador da humanidade!rnjoão cap.19 vers 26 apoc.12rnImitemos,as mulheres bíblicas!rnEster,Judite,Rute e outras,tementes ao Senhor!rnLouvo,rendo graças,por nos dar uma mãe tão atenta e santa!

  16. Luccas's Gravatar Luccas
    8 de março de 2013 21:16 Permalink

    Uma coisa que sempre me incomodou com essa data foi a adesão sega e forte influência da cultura americana e de outros países aqui no brasil. Muitas desses símbolos como movimento punk, hippie e feminismo são adotados, alterados ou justificados, e acabam perdendo seu sentido original. Chega de assassinar o nosso idioma que é lindo e muito mais rico que muitos outros. Vamos dizer dia internacional das “mulheres” e não da mulher. E porque não dia das mulheres brasileiras. Nós brasileiros temos conhecimento suficiente para manifestar nossa própria identidade e nossa própria cultura. Não precisamos de empréstimos estrangeiros. Quanto às “mulheres”, eu acho louvável os avanços delas na política, no mercado de trabalho, e o respeito ao seus direitos. O que não aprovo é que se comemore o feminismo que busca por privilégios e não direitos, que defende o aborto, a banalização do sexo, a troca de valores. Deixemos bem claro, o que se comemora nesta data. Na minha opinião, se for o feminismo radical, eu acho que as mulheres não têm muito o que comemorar.

  17. LUANA RAFAEL GOMES's Gravatar LUANA RAFAEL GOMES
    6 de março de 2014 21:07 Permalink

    EU INGRAVIDEI TINHA 16 ANOS NO INICIO FOI UM MAR DE ROSA MAIS AGORA EU MIM SINTO TAO TRISTE QUE AS VEZES PENSO QUE SO VIVO POR MEUS FILHOS QUE SAO MAIS INPORTANTE QUE TODO NA MINHA VIDA