Via-sacra: 'Uma experiência que só a fé pode tocar'

artigos / Jornada Mundial da Juventude / Reportagens

Uma Via-sacra que contemplou e intercedeu pelos sofrimentos dos jovens do mundo inteiro. Assim foi o segundo dia do Papa Bento XVI com os jovens na Praça de Cibeles,  nesta sexta-feira, 20, onde uma multidão contemplou as 14 estações, que representam os últimos passos de Jesus na terra, por meio de imagens sacras vindas de várias partes da Espanha.

Fernando de Santiago, Chile

Muitos jovens testemunharam as maravilhas desta Via-sacra com Bento XVI. “Foi um momento de profundo recolhimento, e me comoveu muito a forma com que o livro, com as meditações da Via crucis, pedia por várias pessoas. Eu realmente saio com o meu coração mais solidário com aqueles que sofrem”, testemunhoo o jovem Fernando, de Santiago do Chile.

O jovem chileno também destacou a maravilhosa experiência que tem feito nesta JMJ 2011. “Tem sido uma coisa extraordinária esta jornada. Ver Bento XVI, o Vigário de Cristo aqui na terra, contemplar esta universalidade da Igreja, na qual somos diferentes, falamos línguas distintas e, ao mesmo tempo, somos um”, concluiu Fernando.

Mas as experiências não param por aqui. Um outro grupo que ficou bem pertinho das encenações da Via-sacra testemunhou os sentimentos vividos durante as contemplações. “Eu diria que este ambiente (o da Via-sacra) é algo indescritível, algo que só mesmo a fé pode perceber”, partilhou Anabela, de Setúbal, Portugal.

“A Via-sacra foi muito especial por eu perceber que em cada estação era um grupo diferente de jovens, de várias partes do mundo, com distintas culturas. Além disso, viver a Via-sacra é realmente experimentar e recordar que Ele (Jesus) deu a Sua vida por mim. Sim, Ele deu a vida por por todos, mas para mim, a experiência de hoje foi algo bem pessoal”, testemunhou Ana Clara, também da cidade portuguesa Setúbal.

Grupo de jovens portugueses de Setúbal: "Experiência que só a fé pode tocar"

A cruz peregrina foi, junto com as imagnes sacras espanholas, protagonista desta Via-sacra. Ela, que tem percorrido o mundo nas mãos dos jovens, também passou de mão em mão a cada estação contemplada. E assim, no seu discurso aos jovens peregrinos o Papa salientou que a cruz  “não foi o desenlace de um fracasso, e sim o modo de expressar a entrega amorosa que chega até a mais intensa doação da própria vida”.

Ainda dentro da temática da Via crucis, que representou também a contemplação de jovens sofredores no mundo inteiro, o Papa disse: “A Paixão de Cristo incita-nos a carregar sobre os nossos ombros o sofrimento do mundo, com a certeza de que Deus não é alguém distante ou alheio ao homem e às suas vicissitudes; pelo contrário, fez-Se um de nós para poder padecer com o homem, de modo muito real, na Carne e no Sangue”.

E como de praxe, a juventude se despediu de Bento XVI nesta-sexta ao som de “Esta és la juventud del Papa”.

.

Tem algo a dizer sobre o tema? Participe!

1 Comment to Via-sacra: 'Uma experiência que só a fé pode tocar'

  1. Benedito de Nazare N. Silva's Gravatar Benedito de Nazare N. Silva
    20 de agosto de 2011 20:30 Permalink

    maravilhoso,tudo de bom e estar na presença do sucessor de pedro
    junto com a juventude do mundo,obrigado meu Deus pelo nosso Papa Bento.