Se for para amar que seja de verdade

artigos

Conteúdo enviado pelo internauta Paulo Franklin

Algumas mulheres acusam os homens de insensíveis, incapazes de se entregar por inteiro numa relação a dois. Dizem até que as mulheres amam e os homens se amam. Levando em conta a capacidade que todo ser humano tem de amar e ser amado, não podemos nos esquecer de que somos aquilo que aprendemos a ser. Diferente dos homens, as mulheres aprenderam, desde o berço, a não terem medo de demonstrar seu amor. Foram até estimuladas a sentir medo e expressar suas emoções sem receio. Sem querer ser pessimista, penso que o processo de educar um homem, muitas vezes, o torna insensível à necessidade de demonstrar que ama alguém.

Independente da maneira como fomos criados, todos nós sentimos um “friozinho” na barriga quando a paixão por alguém se intensifica. Isso significa que todo mundo ama, mas nem todo mundo tem coragem de confessar tal sentimento. Preferimos manter uma relação fria, regada a boas noites de prazer, mas sem nos envolvermos emocionalmente, a ponto de não conseguirmos viver mais sem aquela pessoa. É hora de revermos nossos conceitos. Sem amor não há relação que perdure por muito tempo.

Qual o mal que existe em dizer (e demonstrar) que se ama alguém? Para muitos, é sinal de coração mole, pessoa fraca, carente. Os homens têm medo de serem taxados assim. Preferem ostentar a agressividade (que remete ao ser macho) e viver na ilusão do “quanto mais, melhor!”. Vamos vivendo a vida para colecionar números de relacionamentos vazios. Chegamos ao fim dos nossos dias sem uma pessoa ao nosso lado, com um grande estoque de amor dentro da gente, que agora não servirá para mais nada. O medo de amar torna o homem pequeno.

Muitos homens aprendem com seus pais que só o prazer importa. São levados por estes, ainda jovens, aos prostíbulos da vida; lá, aprendem a maneira mais baixa de relacionarem-se com alguém. Eles obtêm o prazer do corpo e a insatisfação da alma. São felizes enquanto o momento dura e insatisfeitos quando este passa. Isso não é amor. Amor de verdade produz alegria nos bons e nos maus momentos. Só aprendeu a amar de verdade quem conseguiu compreender as necessidades do coração da outra pessoa.

“Só aprendeu a amar de verdade quem conseguiu compreender as necessidades do coração da outra pessoa”

Quem não acredita no amor que não diga que ama alguém. Se for para amar, que seja de verdade. Talvez a pior dor que o ser humano possa sentir é saber-se amado por alguém que, na verdade, não ama ninguém. Falsidade e amor não combinam. O relacionamento só cresce onde há partilha de sentimentos, onde os dois, de mãos dadas, compartilham os bons e os maus momentos em nome de um verdadeiro amor.

Amor também se aprende. É uma decisão. Basta começar e colocar amor em tudo o que formos fazer. Quem experimentou viver assim, viu que amar não é coisa de covarde, ao contrário, só os corajosos têm coragem de reconhecer-se amável e amado. A nossa educação pode até ter nos mostrado o contrário, mas a vida nos ensina que só quem ama consegue se destacar num mundo tão mesquinho. Quem ama de verdade encontra a verdadeira felicidade.

Veja mais do autor:

Atitudes para sair da depressão 

Todo mundo namora, menos eu

A família é a base de tudo

.

Tem algo a dizer sobre o tema? Participe!

 

1 Comment to Se for para amar que seja de verdade

  1. mary oliveira's Gravatar mary oliveira
    January 29, 2014 07:58 Permalink

    quando eu digo te amo é de verdade não gosto de falsidades e quando não tenho certeza fico calada orando a Deus pedindo Respostas…pois quando amo me entrego por inteiro!