A sacralidade do corpo

artigos / Namoro

Conteúdo enviado pelo internauta Maria Célia dos Reis Silva

É preciso ter bem claro a visão cristã da sexualidade e a sacralidade do corpo como um dom.

Para melhor compreendermos a moral católica sobre o matrimônio e sobre os filhos é preciso ter bem claro a visão cristã da sexualidade e a sacralidade do corpo como um dom.

A sexualidade envolve a pessoa como um todo, não é um adereço. Segundo o beato João Paulo II, toda a sociedade sofre influência da nossa forma de amar e de exercer nossa sexualidade. Você já sabe que a base da sociedade é a família, certo? E qual a base da família? O casal. Qual foi a base do casal? O namoro. Portanto, a sexualidade é um tema ao qual João Paulo II dedicou 129 de suas catequeses de quarta-feira, formando, assim, o que hoje chamamos de Teologia do Corpo, devido à grande importância de cada um de nós realizar sua vocação primeira: amar.

Quer saber o que é mais sagrado neste mundo? É só ficar atento ao que o inimigo de Deus mais tem investido para tirar a dignidade do ser humano: a sexualidade. Muitas discussões sobre aborto nem mesmo seriam necessárias se tivéssemos uma compreensão do plano de Deus para o amor humano. Muitos podem se perguntar: Por que eu tenho de me preocupar tanto assim com a minha forma de amar? Por que eu não posso amar como eu quiser? Que mal há nisso? A Igreja não tem que “meter a colher” nesses assuntos, não!

arte-namoro-artigos

Para o Concilio Vaticano II, “a Igreja é perita em humanidade!”. São João, em uma de suas cartas, diz que “Deus é amor e n’Ele não há treva alguma”. As ciências humanas estão começando a trilhar um caminho de conhecimento; a Igreja tem mais de 2 mil anos de tradição, os quais, se soubéssemos aproveitar, nós nos tornaríamos também peritos em humanidade. E ao se tratar do ser humano, não o compreendemos sem o corpo, o sacramento da pessoa.

Você também poderia pensar: “Não! Os sacramentos são apenas sete, o corpo não é um deles!”. Mas pense comigo: Quando você foi batizado, onde o padre jogou água? Quando você foi crismado, onde o bispo passou óleo? Sendo assim, não fica difícil compreender por que o corpo é o sacramento da pessoa, ele é necessário para que os outros sacramentos sejam administrados.

Na catequese básica, aprendemos que sacramento é uma realidade terrena que aponta para uma realidade celeste. Assim, entendemos o que o Papa diz: “O corpo, na realidade, e somente ele, pode tornar visível o invisível” (Teologia do Corpo).

Paz e bem!

.

Tem algo a dizer sobre o tema? Participe!

3 Comments to A sacralidade do corpo

  1. Thiago Puccini's Gravatar Thiago Puccini
    24 de janeiro de 2014 11:28 Permalink

    Muito bacana!rnEstava pensando em escrever sobre a Teologia do corpo!rnExcelente escolha, Maria!

  2. Valeria's Gravatar Valeria
    28 de janeiro de 2014 11:23 Permalink

    Nossa, muito bom o texto, e esse final me deixou de quixo caído, pela sua veracidade “O corpo, na realidade, e somente ele, pode tornar visível o invisível” (Teologia do Corpo).

  3. Rodrigo's Gravatar Rodrigo
    17 de janeiro de 2016 00:20 Permalink

    O namoro é o tempo para o conhecimento do outro mas não para usá-lo e sim para levá-lo a Deus pelo caminho da santidade. Nosso corpo é Templo do Espírito Santo e não devemos profanar o Santuário de Deus. “Cada um de nós recebeu de Deus, de
    maneira especial, um dom, mesmo com
    nossas potencialidades e limitações. Em
    nosso corpo está a potencialidade de Deus,
    nosso corpo é algo totalmente puro!” – Roberta Castro Médica Ginecologista, obstetra e
    especialista em terapia familiar
    Se for para namorar para não respeitar a sacralidade do outro melhor nem entrar na vida da pessoa que se quer namorar pois ela é um lugar santo que merece respeito.