A cruz dos jovens e a JMJ: uma história de unidade

Jornada Mundial da Juventude / Reportagens

Depois de ter entregado a cruz peregrina aos jovens em 1985, estes foram chamados por João Paulo II para um encontro especial na Praça de São Pedro em 1986, tornando-se assim a primeira Jornada Mundial da Juventude. A cruz peregrina estava ali nessa celebração, testemunhando que daquele momento em diante ela e a JMJ eram inseparáveis nesse encontro entre o Papa e os jovens.

E enquanto não é realizada a Jornada Mundial da Juventude por anda anda a cruz peregrina? Entre um intervalo e outro da JMJ esse objeto está sempre peregrinando, percorrendo as estradas do mundo, como um incansável “globetrotter”.

A Cruz da JMJ, por onde passa, atrai uma multidão

Em 1987 o Papa João Paulo II convocou o público juvenil para peregrinar para Buenos Aires, evento que se tornou a primeira edição da JMJ de cunho internacional. Momento em que a cruz também estava presente, peregrinando pela primeira vez no Continente Americano.

Aos jovens latino-americanos o Santo Padre recordou que, na sombra da cruz de Cristo, eles eram protagonistas de uma dupla esperança: ser o futuro da Igreja pelo simples fato de serem jovens e por fazerem parte de um continente muito novo, serem a esperança para o mundo.

Em 1988, a cruz peregrina se torna a alma da Jornada Mundial da Juventude, celebrada em âmbito diocesano em Roma, logo depois partiria para a Alemanha e França e, por fim, atravessaria o oceano e chegaria mais uma vez ao Continente Americano, em Steubenville nos Estados Unidos da América. Em todos estes lugares, esse objeto, que é ícone da fé cristã, enche de alegria os jovens, que compreendem o seu chamado.

Em 1989 a cruz faz uma peregrinação aos Países Baixos e em agosto desse mesmo ano, ela chega a Santiago de Compostela, na Espanha, para mais uma Jornada Mundial da Juventude com o Santo Padre e os jovens. Nessa edição, o Pontífice convida os jovens para a descoberta do ideal de peregrinação, tão vivo nessa cidade histórica.

A cruz da JMJ recepciona João Paulo II em Santiago de Compostela e celebra a unidade entre o Oriente e o Ocidente, depois da queda do Muro de Berlim, na Polônia

Em agosto de 1991 a cruz peregrina marcou sua história em território polonês para a Jornada Mundial da Juventude de Czestochowa, nesta que foi a primeira JMJ depois da queda do Muro de Berlim. A escolha da Polônia, até então país do eixo comunista, indicou o encontro entre o Oriente e o Ocidente, transmitindo uma mensagem de esperança, sobretudo aos jovens vindos dos países do Leste Europeu, em particular da Rússia, como resposta ao apelo do Papa, que na vigília com eles, pronunciou estas palavras:

“Nesta nossa vigília, a cruz está presente entre nós. Vocês trouxeram para cá esta cruz e colocaram-na aqui no centro da nossa assembleia… A cruz, símbolo do amor inefável de Deus, sinal que revela que Deus é amor”.

A cruz mais uma vez marca a história não só dos jovens e das Jornadas Mundiais, mas da humanidade, tornando-se símbolo do poder do Evangelho, que rompe as muralhas que separam os homens de si mesmos e de Deus.

No próximo episódio você confere a peregrinação da cruz em grandes metrópoles nos Estados Unidos da América e França, bem como o ritual de passagem da cruz de um país para o outro.

Confira o episódio que conta o início da peregrinação da cruz da JMJ

.

Tem algo a dizer sobre o tema? Participe!

5 Comments to A cruz dos jovens e a JMJ: uma história de unidade

  1. joyce's Gravatar joyce
    3 de agosto de 2011 00:25 Permalink

    e algo muito enteresante

  2. Viviane Pereira Faria's Gravatar Viviane Pereira Faria
    3 de agosto de 2011 14:11 Permalink

    A Cruz de Cristo é o maior exemplo de amor do Pai para conosco.
    Nós jovens, os quais o futuro da humaidade pertence, devemos nos honrar e nos orgulhar de carregá-la, dia após dia.
    A Cruz não representa a morte, o fim, mas vitória da vida sobre a morte, um novo início para cada um de nós Cristãos.
    Tenho uma verdadeira adoração pelo meu Deus, o Deus que tudo pode, tudo transforma, tudo perdoa e que a todos ama.
    Que neste ano, a JMJ possa trazer mais jovens para perto de Deus e que saibamos cada dia mais dar valor às necessidades do Espírito e não somente às da carne.

    Que Deus abençoe o nosso amado Papa Bento XVI, é que nosso querido Beato João Paulo II fundador da JMJ rogue por todos nós. Amém?!

  3. vanderlei kuhn's Gravatar vanderlei kuhn
    5 de setembro de 2011 22:36 Permalink

    Testemunho: Tive o grande privilégio em participar da II JMJ, em Buenos Aires, Argentina, no ano de 1987. Foi um dos momentos mais significantes e marcantes de minha vida. Considero-o indiscritível. Jovens de vários países do mundo(segundo o Jornal ‘o Clarin’, 1,5 milhão de pessoas) unidos em torno da fé, unidade e esperança por um mundo cada vez mais fraterno. Foi, certamente, um momento de reflexão a favor da paz. Movimentos pacíficos contra as ditaduras militares. Acredito plenamente que os Jovens presentes naquela Jornada foram decisivos para que as mudanças estruturais de muitos países fossem revistos. No nosso grupo (45 pessoas) estavam presentes: padres, freiras, estudantes, sindicalistas, filhos de pequenos agricultores, integrantes de juventudes rurais, professores, entre outros. Forte abraço. Vanderlei Kuhn – Selbach/RS. vanderlei-kuhn@hotmail.com

  4. vanderlei kuhn's Gravatar vanderlei kuhn
    17 de fevereiro de 2012 10:42 Permalink

    A JMJ, realizada em Buenos Aires, em 1987, foi o Marco decisivo para a realização das Jornadas nos demais países. Como forma de sugestão, entendo que seria importante para a JMJ do Rio de Janeiro, o testemunho dos Jovens brasileiros presentes na II Jornada ocorrida na Argentina, no ano de 1987. Atte. Vanderlei Kuhn – Selbach/RS.

  5. Maria José Nunes Torterolli's Gravatar Maria José Nunes Torterolli
    4 de agosto de 2013 10:41 Permalink

    eu nos 85 anos de caminhada, pela graça de Deus, sempre busquei encontrar, a vida na sua verdadeira origem. Eu sou partindo do CRISTO, quero descobrir a raiz mais e mais profunda para aumentar o AMOR em mim. Porisso estou pesquisando e encantada com o que estou encontrando. Vim duma epoca que tinha que aceitar, agora vivo a epoca das descobertas, das revelações, do conhecimento, podemos caminhar na verdade para encontrar a VERDADE dsa VERDADES que é o CRISTO.DEUS lhes abençõe.